Padre Manaça (1872-1935)

Natural de Santa Cruz do Bispo, o Padre Manaça (assim conhecido por pertencer à família dos Manaças), escolheu a freguesia de Guifões para paroquiar. De nome Joaquim Pereira dos Santos, nasceu em Santa Cruz do Bispo no dia 24 de Março de 1872, filho legítimo de José Pereira dos Santos e de Ana Alves da Silva, modestos e honrados lavradores e carpinteiros. Foi batizado pelo Pároco Manuel Alves da Cruz (Santa Cruz do Bispo), no dia seguinte ao seu nascimento. Ordenou-se em 29 de Julho de 1900, no Seminário de Nossa Senhora do Rosário dos Carvalhos. Passados 15 dias após a sua formação, celebrou missa nova na Igreja de Santa Cruz do Bispo, no dia 15 de Agosto de 1900, ficando desde esse dia a paroquiar a freguesia de S. Martinho de Guifões preenchendo a vaga dada pelo falecimento do pároco José da Silva Torres. Paroquiou a freguesia durante 35 anos, até à sua morte, que ocorreu no dia 12 de dezembro de 1935, vitimado por um cancro na laringe.

Foi uma das figuras mais representativas e populares da freguesia de Guifões e no seu tempo. Por ela empregou todo o seu esforço e talento, legando à posteridade um dote de honradez, honestidade e amor pela terra que quis para sua última morada no descanso eterno da morte. Foi eleito Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Matosinhos, no ano de 1905, lugar que desempenhou com elevado civismo e aprumo moral que sempre soube manter em todos os atos da sua vida pública e privada. Morreu pobre. Por resolução da Sessão da Câmara Municipal de Matosinhos, de 1 de Outubro de 1955, foi dado o nome do Pe. Joaquim Pereira dos Santos (Manaça) ao largo da Igreja (Souto).  

Fonte: Texto Retirado Monografia Santa Cruz do Bispo, Matosinhos 2018, páginas 156 e 157.