O Rio Leça nasce no Monte de Santa Luzia, acima do lugar de Redundo, no concelho de Santo Tirso, a uma altitude aproximada de 420 m, percorrendo 48 quilómetros até à foz, no oceano Atlântico, junto ao porto de Leixões. A bacia hidrográfica do rio Leça tem uma forma alongada e estreita com direção predominante de nordeste-sudoeste e é limitada, a norte, pela bacia hidrográfica do rio Ave e, a este e sul, pela bacia hidrográfica do rio Douro.

A bacia hidrográfica do rio Leça tem uma área de cerca de 185 km2 mas o seu Plano de Bacia Hidrográfica tem uma área total de 235 km2 pois compreende ainda duas faixas costeiras que drenam diretamente para o oceano: uma a norte da foz do rio Leça, englobando grande parte do concelho de Matosinhos, numa área de 26 km2; e outra a sul, englobando parte do concelho do Porto, numa área de 24 km2. O escoamento anual na foz do rio Leça é, em média, de 107 hm3; o afluente que mais contribui para este escoamento é a ribeira do Arquinho, com 13,3 hm3. A bacia hidrográfica do rio Leça não apresenta disponibilidades de recursos hídricos regularizados.

Os principais afluentes são a ribeira do Arquinho e a ribeira do Leandro, ambas da margem direita.

Banha as antigas terras rústicas da Maia e do concelho de Matosinhos, tendo sofrido profundas alterações aquando da construção do porto de Leixões, nos finais do século XIX. Os relatos dessa época descrevem-no integrado numa paisagem bucólica, correndo entre margens férteis, apresentando este rio e a sua rede hidrográfica como geradores de recursos naturais e consequente estabelecimento de aglomerados urbanos.

O Rio Leça acolhe ainda uma das zonas mais características desta freguesia, a Zona de Lazer onde a Ponte do Carro é peça principal.