Site icon União das Freguesias de Perafita, Lavra e Santa Cruz do Bispo

7,5 milhões de euros na requalificação do Corredor Verde do Leça

Foi hoje inaugurada a primeira fase do projeto do Corredor Verde do Leça, entre as pontes de Moreira e da Pedra, numa extensão de 6, 9 km

A cerimónia contou com a presença do Ministro do Ambiente e Ação Climática, Duarte Cordeiro, da Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Luísa Sagueiro, do Presidente da Câmara Municipal da Maia, António Silva Tiago, do Presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Alberto Costa, do Presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Manuel Ribeiro, da Presidente da Assembleia Municipal de Matosinhos, Palmira Macedo, da Vereadora do Ambiente de Matosinhos, Manuela Álvares, dos Vereadores António Correia Pinto e Vasco Pinho, do Presidente da União das Freguesias de Custóias, Leça do Balio e Guifões, Pedro Gonçalves, da Presidente da União das Freguesias de Perafita, Lavra e Santa Cruz do Bispo, Lurdes Queirós, e da atuação do Coral dos Pequenos Cantores da Maia.

O Corredor Verde do Leça, recorde-se, consiste num projeto ambiental e de mobilidade, com um forte cariz cultural, económico, turístico e social, que visa a valorização paisagística e ambiental do rio Leça e das suas margens.

Cofinanciado pelo FEDER, através do programa comunitário Portugal 2020/Norte 2020, o projeto está a ser executado em três fases, num total de 18 km intervencionados.

Além da requalificação e revitalização das margens do rio Leça e da sua envolvência, o projeto prevê a construção de um percurso pedestre e ciclável ao longo das suas margens, criando uma alternativa de mobilidade para as deslocações quotidianas, a pé e de bicicleta, entre as zonas residenciais e as zonas empresariais localizadas na sua envolvente.

O investimento na primeira fase foi de 7,2 milhões de euros e abrangeu a construção de uma ciclovia e de percursos pedonais, entre outras melhorias, aumentando a visibilidade do rio Leça e dos seus focos de poluição, promovendo um maior contacto com a natureza e novas oportunidade de mobilidade ao longo do rio.

Segue-se a segunda fase, que compreende as pontes de Moreira e do Carro, numa extensão de 6,1 km. Com um prazo de execução de 18 meses, a empreitada está orçada em cinco milhões de euros.

A terceira fase, entre a Ponte do Carro e o Porto de Leixões/ Foz do Rio Leça, com ligações ao centro de Matosinhos e de Leça da Palmeira, terá uma extensão de 4,7 km.

O rio Leça, que nasce em Santo Tirso, a uma altitude de 475 m, e desagua em Matosinhos, tem uma extensão de cerca de 46 quilómetros. Durante várias décadas, foi considerado um dos rios mais poluídos da Europa.

Em 2016, os quatro municípios por onde passa o rio – Matosinhos, Maia, Valongo e Santo Tirso – uniram esforços e começaram a trabalhar na consolidação, estratégia e definição de um plano para o Corredor do Leça.

Constituída a 31 de maio de 2021, a Associação de Municípios Corredor do Rio Leça é a primeira associação intermunicipal do país a ter como objetivo a recuperação de um rio, dedicando-se a partir de agora à gestão, execução e manutenção do Plano Estratégico de Recuperação do Rio Leça 2020/2030, com um orçamento total previsto de 28 milhões de euros e com recurso a financiamento comunitário.

Ao longo do dia, o Parque das Varas acolheu várias atividades para as famílias. Uma caminhada guiada pela arquiteta Laura Roldão, autora do projeto, um passeio de bicicleta, uma prova de orientação de iniciação, slide, insufláveis, rapel, carros a pedais, aulas de fitness, oficinas e jogos da área do ambiente.

Exit mobile version