A nova unidade orgânica e administrativa, União das Freguesias de Perafita, Lavra e Santa Cruz do Bispo, foi criada através da Lei da Reorganização Administrativa (Lei 22/2012, 30 de maio). Geograficamente localiza-se na zona norte do concelho de Matosinhos, fazendo fronteira com o concelho de Vila do Conde a norte, e a este com a Maia. Integra as antigas três freguesias autónomas de Perafita, Lavra e Santa Cruz do Bispo, com características económicas, sociais e demográficas diferentes, que procuraremos identificar. A Lei 11-A/2013, de 28 de janeiro, definiu Perafita como sendo a sede da nova unidade orgânica e administrativa, assumindo Lavra e Santa Cruz do Bispo o lugar de polos onde se encontram serviços administrativos e os diferentes departamentos. Uma série de empreendimentos possibilitaram o crescimento económico, e urbanístico, desta união de freguesias: o Aeroporto Francisco Sá Carneiro (e as obras de requalificação da antiga estrada nacional 107), o Porto de Leixões, o Centro de Negócios de Freixieiro (onde se fixam várias empresas de expressão nacional), a Refinaria de Leça da Palmeira (Petrogal), a Exponor e o Metro do Porto (ainda que não existam estações em toda a freguesia o seu impacto, para os residentes, é bastante positivo) e, mais recentemente, o MarShopping e o IKEA, como dinamizadores e atractores da economia e de não-residentes.

Foi entre Perafita e Lavra, na zona da Memória, onde se encontra o Obelisco, que a 8 de julho de 1832 desembarcaram as tropas liberais de D. Pedro IV, e não no Mindelo como erradamente se tem dito. A localização exata do desembarque das tropas é difícil de obter e, ao longo destes anos, tem granjeado uma certa “tensão” entre as duas antigas freguesias que aclamam, para si, a importância deste acontecimento. Aquilo que podemos afirmar, sem dúvidas, é que Matosinhos deteve especial importância na implantação definitiva do liberalismo e na transformação política que, desse momento em diante se viveu em Portugal. D. Pedro IV e os seus partidários, que o acompanhavam desde a Ilha Terceira nos Açores, tinham previsto este desembarque para a foz do rio Ave, junto a Vila do Conde. Porém, a hostilidade que Bernardo de Sá Nogueira encontrou, juntamente com as condições geográficas favoráveis de Pampelido – por indicação do lavrense Francisco José da Silva –, determinaram que as tropas desembarcassem no local onde, hoje em dia, se encontra o Obelisco. O liberalismo, no ano seguinte, passa a ser uma realidade em Portugal, essencialmente depois da assinatura da Convenção de Évora-Monte (1834), e tudo começou em Arnosa de Pampelido, como disse Almeida Garrett, “onde o Portugal Velho acaba e o Novo começa”.